terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Dislexia - Patrícia Peterli Partichelli

Escrever é
Bater em criança
Trepar com a mãe
Caminhar bêbado
pela retidão sintática
Provocar curvas
Cuspir na cara
da palavra estática:
Quebrar o concreto
- e fazer nova casa -
(sobre rodas).
É guerra
Esfaquear palavras
Decapitar conceitos
Sentir dor
Sangrar até a última frase
de ideia inquieta
E costurar com carne
- perecível -.
É flecha
Traçar um fio
Que transa cultura, história
dinheiro, chinelo, tv
Desfaz-se no ar
e pari uma outra coisa
- inesperada -.
É quando o berro mais bizarro
Produz beleza

Meter a língua entre
o amargo da semântica
e o doce do sentido
Escrever é
lançar-se a algum lugar
- é perigo -.

Essa poesia foi premiada no Concurso Novo Milênio 2011 da Faculdade Novo Milênio.