sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Cálice - Ataíde Lemos

No cálice do seu corpo embriago-me do vinho
que dele transborda latente a me oferecer.
Meus desejos entram em ebulição enfervecido
pela ânsia de sentir todo o seu prazer.


Transformamos um só corpo em chamas,
onde há amor, desejo, paixão, tesão...
Deixamos viver intensamente o momento
entregando-nos num só coração.


Em tua maciez minhas mãos deslizam,
Como ímã nossos corpos se atraem.
As fantasias liberamos que aconteça
e assim, nossa loucura de amor realiza.


Seus lábios devoram ardentemente os meus.
Suas manhãs seduz-me conduzindo a ti.
Deixo todo o meu corpo a ti oferecer.
E após o amor em teu corpo adormecer.

Ataíde Lemos