sábado, 14 de janeiro de 2012

Abuso - Luiz Manoel Ferreira Maia

Chegando à beira da calçada, a cega parou.
A bengala na mão esquerda deixava livre a direita apalpando o nada e querendo um braço condutor para o outro lado. O menino condoeu-se da mulher e a socorreu.
Ela segurou o pulso oferecido e logo atravessaram a rua.
A cega apertou com mais força o braço do menino e pediu-lhe ajuda para atravessar a rua seguinte, mais movimentada. O menino concordou e assim fez.
A cega disse a ele que a levasse adiante e o menino sentiu-se algemado em dedos magros. Ele aquiesceu, a cega afrouxou a mão e bruscamente o menino soltou-se.Voltou correndo para casa.
Boa ação, sim. Sequestro não.
Contudo, há pessoas que se deixam manipular sempre.