quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Canto de Glória - Newton Braga

Qualquer que seja o teu destino;
quaisquer que sejam os rumos de nossas vidas
por mais desencontrados;
por mais que o não queiras
e eu não queira;
por mais que a sorte nos afaste;
por mais que as multidões e os quilômetros
se interponham entre nós dois;
por mais que tu me queiras odiar
e eu queira te esquecer,
tu hás de ser sempre, eternamente,
a amada do poeta.
Sofrendo e cantando
eu te diferenciei de todas as mulheres
e, com a minha arte, eu te levarei,
talvez não como tu és, mas como eu te criei,
através das distâncias e através das gerações,
na ronda secular das minhas emoções,
futuro adentro, terras além!