sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A Real - Elen Cardoso Lopes

Pra que falar de amor
Com tanto papo melhor pra jogar fora?
É violência urbana...
É violência doméstica...
Violência infantil...
Violência feminina...
Então por que perder tempo
Falando de sonhos e sentimentos abstratos
Vamos noticiar a vida real
O dia a dia sanguinolento
O cotidiano de rapina que se faz
A cada dia mais abutre
Exploração de todo o ser
Então querer sorrir pra que?
E sonhar com um ou mais amores
E ir ao cinema ver heróis de mentira
Se na verdade somos vilões de nossas dores
Hipocrisia ou sentimentalismo?
Vem pra cima!
Sonha comigo, vai!
E diz pra mim que sonhar não custa nada pra ninguém
(Até por que estamos duros, sem grana pra bancar qualquer sonho maluco!)
Nem pare pra pensar sobre onde foi que erramos
Pára com isso e sonha, vai!
Sonha comigo que amanhã pode ser feriado
Fecha os olhos e pensa que no nosso mundo ideal
Lágrimas vêm sempre acompanhadas por sorrisos
E talvez até gritos e urros de muita alegria
Ah, sonha comigo, vai!
E dentro de você, coloque a imagem real de um planeta limpo
Por dentro e por fora
De pessoas incapazes de ferir
De onde o medo foi totalmente erradicado
E junto com ele tudo o que nos fazia franzir a testa...
Tudo bem a gente acordar
E ver que a realidade é cruelmente diferente de tudo o que sonhamos
Mas fomos felizes enquanto dormíamos,
E isso tem que valer algum tostão
E quando sua real estiver muito carregada
Feche seus olhos e sonhe
Sonhe com tudo de bom que puder
Porque de repente
Nem que seja um sonhozinho só
Pode acabar se realizando
E de sonhozinho em sonhozinho
Quem sabe, né
Se um dia acordamos num lugar melhor
E se enlouquecermos, que seja sonhando
Com as melhores coisas da vida!


Elen Cardoso Lopes