segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Escrituras de um poeta - Lilian Farias

Eu não escrevo para ser compreendida!
Escrevo para acalentar meu coração e esvaziar a mente...
Eu não escrevo para um mundo sem maxilar e língua furada!
Escrevo para eternidade...
Eu não escrevo para crianças da moda!
Escrevo para eterna criança esquisita que nunca morreu e que não entende de batons, só conhece perebas...
Eu não escrevo para homens da guerra!
Escrevo para homens os que sobraram, com uma história para contar...
Eu não escrevo para academia Brasileira de Letras com seus óculos démodé e cheiro de calabouço!
Escrevo para um mundo Marginal!
De certo que um escritor sempre escreve para leitores!
Meus escritos não são nada, apenas “EU”!

(LILIAN FARIAS)