sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Encontro à meia-noite - Ana DePalo - Cap. VII

CAPÍTULO SETE
A festa dos Davenport corria solta quando Chloe apareceu com Ryder na casa dos pais, no subúrbio de Westchester. Entraram pela porta da frente, e o som de risadas e pessoas conversando era ouvido por todo o primeiro andar.
A ideia de fazer uma festa pós-feriados começou há alguns anos quando os Davenport perceberam que não conseguiriam reunir toda a família -ou a maior parte dela -durante o agitado mês de dezembro. Ainda mais quando Maxine, irmã de Chloe, se casou e começou a alternar seus feriados entre a sua casa e a casa dos sogros. A reunião de janeiro se tornou uma oportunidade para os pais de Chloe verem os netos.
- Chloe, você finalmente chegou!
Chloe quase gemeu quando sua irmã se aproximou segurando sua filha Emma, de 18 meses. De alguma forma, Maxine sempre arranjava uma maneira de fazer seus comentários acompanhados de algum elemento de censura.
Eles mal tinham tido a oportunidade de guardar seus casacos e Chloe já enfrentava o que estava fadada a ser uma das introduções mais desafiadoras da noite.
Maxine inclinou-se e a beijou no ar, o que Chloe devidamente retribuiu. Chloe sabia que na opinião de sua irmã não havia sentido estragar uma maquiagem perfeita com cumprimentos que só serviriam para remover o blush.
Maxine afastou-se e pegou a mão de Emma que puxava o colarinho do suéter de Chloe.
- Não, não, não! -disse com voz melodiosa para a filha enquanto olhava para Ryder. A curiosidade era evidente em seu rosto.
Conformada, Chloe percebeu que não adiantava adiar o inevitável. Ela adorava a sobrinha e o sobrinho Andrew, de quatro anos, mas tinha problemas em lidar com sua irmã perfeita e seu cunhado.
- Maxine, você se lembra de Ryder McPhee, não lembra?
- Ryder, é claro! -Maxine estendeu a mão. -Por isso você me pareceu tão familiar! É ótimo vê-lo de novo. Quanto tempo faz?
Chloe observou como Ryder pegou a mão estendida.
- Acho que desde o ensino médio. Você não mudou nada, Maxine.
Seria somente sua imaginação, Chloe pensou, ou havia um duplo sentido nas palavras de Ryder? Ela parou de pensar na resposta com a chegada do seu cunhado, Gavin.
Vendo seu marido se aproximar, Maxine estendeu o bebê em seus braços e disse:
- Querido, pode segurá-la, por favor?
Gavin pegou Emma em seus braços e Chloe o apresentou a Ryder. Um bate papo casual começou. Em determinado momento, Chloe viu que Maxine olhou para ela e para Ryder de maneira especulativa.
- Então... -perguntou Maxine. -Vocês vieram juntos?
Chloe sentiu que Ryder colocou uma das mãos em seu ombro.
- Viemos. Avise-me se precisarem que eu manobre meu carro. É o Jaguar preto ali na entrada.
Chloe sentiu sua irmã agitada reparando no traje de Ryder, desde o paletó sob medida até seus sapatos italianos. Maxine detectava com mais facilidade os sinais de uma riqueza discreta, apesar de não trabalhar para uma revista de moda. Chloe supôs, contudo, que ser uma dona de casa em tempo integral em um bairro nobre já seria credencial o suficiente.
Maxine olhou para ela e para Ryder, franzindo sua tão perfeita testa.
-É tão raro Chloe trazer um namorado para estes eventos… Espero que não seja porque sente vergonha da família!
Gavin sorriu.
- Querida, eu garanto que não é o caso.
Antes que Chloe pudesse responder, Maxine inclinou-se em direção a ela e falou baixinho:
- Foi uma ótima ideia ter trazido um velho colega de escola. Eu nunca pensaria em ir por esse caminho. Bem pensado!
Gavin falou:
- O que você tem feito, Ryder?
Chloe achou que era o tipo de pergunta que seu cunhado faria a um novato durante um jogo de golfe no seu exclusivo country clube.
A mão de Ryder ficou mais firme em seu ombro enquanto dirigiu seu olhar àquele homem mais baixo.
- Pode-se dizer que tenho sido um gerente de investimentos desde que vendi algumas das minhas ações da Gizmo durante o boom da internet.
Chloe observou seu cunhado levantar as sobrancelhas e até Maxine pareceu impressionada. Dane-se, ela mesma estava impressionada. Gizmo era uma das mais bem sucedidas empresas de Internet. Até Chloe já tinha ouvido falar dela. Quando as ações da empresa foram vendidas para o público há poucos anos, seus fundadores tornaram-se multimilionários.
Ela olhou de relance para Ryder. Ele havia falado tão pouco sobre sua carreira até o momento... Por que ele não contou a ela sobre a Gizmo? A empresa era simplesmente uma das mais famosas firmas de recuperação de informação do mundo! Se Ryder vendeu suas ações quando se tornaram públicas, então sua fortuna estava certamente na casa de dezenas de milhões de dólares!
Não é de se admirar que ele se intitulasse gerente de investimentos. Investir todo o seu dinheiro deveria ser um trabalho em tempo integral!
Quando Maxine e Gavin se afastaram -aparentemente, no caso de Maxine, para cuidar da inquieta Emma -Chloe confrontou Ryder.
- Por que não me falou sobre a Gizmo? Você foi um dos fundadores?
Ryder encolheu os ombros.
- Sou co-fundador. Entrei nessa com um colega do MBA. -Ele balançou a cabeça na direção em que Maxine a Gavin haviam ido. -Por que não me contou sobre a Barbie e o Ken ali, ou sr. e sra. Perfeição?
Era a vez de ela encolher seus ombros.
- O que há para contar? Eles são da família. -Sustentou o olhar. -Não é a mesma coisa que se esquecer de mencionar que é um milionário da Internet!
- Querida, estou tão feliz que tenha vindo!
Chloe virou-se a tempo de ver sua mãe correr em sua direção. Aos 66 anos, ela era uma versão mais velha de Maxine, mas em se tratando de personalidade, tinha um ar mais distraído.
Por cortesia, Chloe apresentou o homem a seu lado à sua mãe. Será que ela o conhecia?
- Mãe, você se lembra de Ryder McPhee? Acho que ainda mantém contato com a mãe dele.
- Olá, Sra. Davenport. -disse Ryder.
O rosto de sua mãe refletiu surpresa e depois satisfação.
- Mas é claro! Ryder! É ótimo vê-lo novamente. Quem bom que pôde vir!
Chloe observava sua mãe olhando para os dois.
- Estou apenas surpresa. Surpresa e feliz. Eu disse a Helen… O que quero dizer, é que não sabia que Helen havia contado a você...
Perto dela, Chloe notou que Ryder ficou um pouco tenso.
-A sra. McPhee contou o que a Ryder, mãe?
Sua mãe a olhou sorrindo e tocando os lábios.
- Que Helen e eu queríamos juntar vocês dois! Eu não sabia que Helen havia contado a Ryder sobre nossa conversa quando nos encontramos na cidade, e aqui estão vocês dois!
Aqui estavam eles, pensou Chloe sentindo sua pressão subir. Juntando as peças, percebeu que não foi coincidência encontrar Ryder na festa de Ano Novo na casa dos Elliott. Ele planejou tudo!
Ela achou que estava finalmente chegando a uma festa de seus pais com um namorado de quem podia se orgulhar. Alguém por quem havia se apaixonado e conquistado por seus próprios méritos. Ao invés disso, ela havia caído em mais uma armação de sua mãe. Ela não podia pensar em nada mais humilhante.
Seus olhos avistaram os de Maxine, que estava próxima e obviamente presenciou toda a cena.
Pensando bem, talvez houvesse algo mais humilhante.
Maxine disse, batendo palmas:
- Adorei! Mamãe salvou o dia!