segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Diamantes e desejo - Sarah Morgan - Capítulo II

CAPÍTULO DOIS
_ Você está em busca de conhecer seu futuro. _ Lauren olhou para o homem através do véu e desejou que ela nunca tivesse aceitado substituir a cartomante. _ Sente-se e eu lhe direi o que vejo. _ Mulheres se estapeando para ir para cama com você, ela pensou bobamente. Um rastro de corações por onde você passa.
Procurando em seu paletó, ele retirou um talão de cheques.
_ Quanto eu pago para ter o privilégio?
_ Eu não aceito dinheiro em troca do meu ofício _ Lauren gaguejou, improvisando freneticamente. Por que Madame Rostropov, a verdadeira cartomante, fora escolher logo esta noite para faltar? A última coisa que ela precisava era ficar sentada ali, enrubescendo. _ O dinheiro é uma doação para o hospital das crianças. Dê o que você puder dar. Sente-se. Eu devo olhá-lo nos olhos.
Ela não estava certa de que essa era uma boa ideia, levando em consideração que seu corpo ainda não havia se recuperado dos olhares trocados quando ele entrou na tenda. Mas o que ela deveria fazer?
Enquanto ele se movia, a luz da luminária de bolhas iluminou seu rosto e Lauren se sentiu abalada de repente. Ele era lindo, sim. Mas era uma beleza dura, fria. Desde a perfeição afiada de sua estrutura corporal até as firmes linhas de sua boca profundamente sensual, todas as suas características haviam sido desenhadas para o poder.
Lembrando-se de que homens excepcionalmente atraentes nunca se interessavam por ela, Lauren colocou suas mãos na luminária de bolhas e as tirou rapidamente quando se queimou. Ai.
_ Eu vejo um futuro brilhante para você. _ Ela se afastou, tentado lembrar o que sua chefe vil e implicante a havia dito para falar caso um homem entrasse na tenda. _ Você será rico e bem sucedido.
Um sorriso lento e mortal surgiu em seu semblante, e ele preencheu o cheque com ousadia.
_ Rico e bem sucedido eu já sou, meu amor. Diga-me algo que eu não sei.
Lauren olhou para o cheque que ele havia lhe dado e quase desmaiou. Só podia estar errado. Ela contou três zeros, cuidadosamente. Seis.
_ Um milhão de dólares?
_ Você me pediu para dar o que eu pudesse.
_ Para a maioria das pessoas isso significa dez dólares.
_ Eu não faço parte da maioria. Farei um negócio com você, Madame Rostropov. _ A forma que ele pronunciou o nome a fez estremecer.
_ Que negócio?
_ Se você adivinhar corretamente o que o futuro imediato me reserva, eu lhe darei outro cheque com a mesmo quantia.
_ Neste caso eu acho que seu futuro imediato será ressuscitar uma cartomante em choque. _ Lauren se abanou com o cheque e o colocou no corpete de seu vestido para guardá-lo seguramente. Se ela o perdesse, Gillian iria matá-la. _ Obrigada. Isso fará uma grande diferença para as crianças.
_ Agora nós já sabemos que eu sou rico, então me diga o que você vê.
Eu vejo um homem que sabe tudo que deveria saber sobre uma mulher, Lauren pensou rapidamente. Naquela tenda pequena e claustrofóbica, ela podia sentir o poder e a energia que pulsava nele.
_ Eu vejo que você conhecerá uma linda mulher.
Ela sentiu uma pontada de inveja daquela mulher sem nome, pensando como seria ser a namorada daquele homem.
_ Vocês passarão uma noite maravilhosa juntos. _ Essa era uma aposta bem segura, ela pensou. Era impossível uma mulher se despedir dele com um beijinho de boa noite na porta de casa. 
_ Continue.
Ele sorriu lenta e sedutoramente, o que fez seus ossos derreterem e seu cérebro viajar para um universo à parte, onde miseráveis organizadoras de eventos disfarçadas de cartomante terminavam a noite com bilionários.
Só que esse tipo de coisa nunca acontecia, acontecia?
Lauren voltou para sua realidade.
_ Eu espero que esta mulher se apaixone por você _ ela disse delirante _, e então você provavelmente irá largá-la e arruinar sua vida.
Ele levantou uma sobrancelha.
_ Você está dizendo o futuro dela ou o meu?
Lauren congelou.
_ Eu não quis dizer isso em voz alta.
_ Talvez _ ele sussurrou _, ao invés de arruinar a vida dela, eu possa lhe dar a melhor noite de sua vida. Você já pensou nisso?
 Sem avisar, ele se esticou e tirou seu véu. O tecido leve e tênue flutuou até o chão, mas nenhum dos dois prestou atenção nisso.  Envolvida pelo seu olhar perigoso e sombrio, Lauren se sentiu vulnerável e desconcertada. Os grandes músculos daquele homem emanavam poder bruto sob o paletó do smoking, fazendo o coração dela bater bem forte.
 _ Aquele véu era o meu disfarce.
_ Você está admitindo ser uma farsa?
Havia alguma razão para negar isso?
_ Eu sou uma farsa completa _ ela falou baixinho. _ Mas é para arrecadar dinheiro para as crianças. _ E se eu não o fizer, serei demitida.
_ Então você não faz a mínima ideia do que o meu futuro me reserva?
O que a verdadeira Madame Rostropovo responderia nessa situação?
_ Eu tenho certeza de que ele será maravilhoso _ Lauren disse timidamente. _ Você parece uma dessas pessoas que passam pela vida sem bater em nenhum obstáculo.
Seu olhar se direcionou para sua boca.
_ E existe algum obstáculo na sua vida?
_ A minha vida é um imenso obstáculo.
_ E quantas vítimas desavisadas já acreditaram nas suas previsões clichês até agora nesta noite?
_ Não muitas. Acho que na atual situação econômica nem as celebridades mais conceituadas querem pensar no futuro. _ Lauren brincou com a luminária. _ Ou talvez eu tenha falado tudo errado para eles. É possível.
A intenção de um sorriso tocou sua boca.
_ O que você falou para eles, Madame Farsa?
Ela hesitou.
_ Eu disse para a primeira mulher que ela conheceria um homem alto, moreno e atraente.
_ E ela não ficou satisfeita?
_ Ela ficou contente. Infelizmente, seu namorado baixinho e loiro que a aguardava do lado de fora da tenda não ficou muito feliz. Ele gritou comigo... _ Lauren suspirou profundamente. _ Depois disso, eu decidi não especificar muito. Falei sobre diamantes para uma ou duas pessoas. E falei bobagens sobre sonhos. _ Se sentindo culpada, ela observou suas unhas roídas. _ Eu me empolguei um pouco e também falei sobre desejos. Besteiras de contos de fadas, basicamente.
_ Você não acredita em contos de fadas?
_ Não. Apesar de eu achar que a vida é tão exaustiva que espetar meu dedo e dormir por cem anos poderia ser bom.
Um músculo tremeu no canto de sua boca.
_ E depois você seria acordada pelo um beijo de um príncipe?
_ Na minha vida o príncipe ia acabar sendo gay porque homens bonitos ou são gays ou casados.  _ Ela se recompôs. _ Desculpe. Você não pagou para escutar isso. Mas, honestamente, você não me parece o tipo de homem que deixa outra pessoa ditar seu futuro.
Ele transpirava confiança e autoridade e Lauren não conseguia imaginar nenhuma outra pessoa dizendo para este homem o que ele devia fazer.
Olhando para ela, ele se inclinou na cadeira.
_ Você não é o que eu imaginava.
_ Bem, você também não parece com quem costuma visitar uma cartomante. _ Não que ela soubesse, pois não era a verdadeira cartomante. _ Você quer um reembolso?
_ Não. Eu quero lhe dizer o seu futuro.
_ Isso é fácil, eu vou estragar tudo. _ Lauren escutou uma explosão de fogos de artifício e imaginou se estava vindo do lado de fora da tenda ou de dentro. O jeito que ele estava olhando para ela lhe tirou o fôlego e os sentidos. _ Eu sempre estrago as coisas.
_ Essa noite não. Essa noite você vai conhecer um homem alto, moreno, atraente e rico. _ Com a luz turva da tenda seus olhos maldosos brilhavam de forma sombria e perigosa. _ Você irá passar a noite com ele e ele fará todos os seus desejos se realizarem. Sonhos, diamantes e desejos, tudo em uma noite só. Bem vinda ao seu futuro, Madame Rostropov.

Leia também:
Capítulo I
Capítulo III

Cortesia Harlequin Books