sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Acreditar - Norival Alves Aleixo

Já não creio no que antes acreditava
Tempo passou mas não passou a tempestade
Ela está fincadanos corações e mentes
Transborda nossos corações de angústias
E correm lágrimas de sangue por tudo que se vê.

Estrondos nos tornam surdos à música-musa
Fecham-se bocas e paralisam-se línguas venenosas
Continuo desacreditando no que dantes acreditei
Mas o tempo é tangível é perceptível e palpável
A tempestade jáz interna em nossos olhos

Corações arrembentam-se, já não pulsam
As gotículas de água do olhar vermelhas o são
Ruídos do ouvido que causam silêncio ensurdecedor
Onde a musica-beatle (a única musica) se faz ouvir
Face a lábios selados e salivas de ácido...acredite!

Norival Alves Aleixo