sexta-feira, 23 de setembro de 2011

E cabe o amor - Marisa de Medeiros

e essa lua que
brilha e flutua
no firmamento;
é como o teu olhar a
me enlouquecer
basta o pensamento;
nas calendas da memória
as correntes da liberdade,
lembranças latentes,
repetentes, e, de repente
a emoção chora...
carrossel de desejos
roda, roda com beijos
sem sair do lugar;
tal qual as paralelas
impossíveis de
se encontrar...faz-se
possível o indescritível
encontro de nós dois;
risco e rabisco,
desenho um círculo
com ou sem risco,
cabe o nosso amor.


Marisa de Medeiros