segunda-feira, 25 de julho de 2011

Credências de Sonhos

Quando eu morrer
Passarão cavalos brancos
irei também de branco
Com os meus pincéis na mão

Pintarei nuvens de amarelo
De vermelho os cata-ventos,
Cobrirei o arco-íris
De verde,verde-limão

Como uma maga de estrelas
entre flores e anjos de estanho
num horizonte coberto de urtigas
semearei lírios e violetas brancas
sem azinhavre ou ferrugem,
como rosas perfumadas
em credências de sonhos.

Sonia Sales 
Do livro Girassóis Maduros -2003