sábado, 2 de abril de 2011

Maldito Destino - Meduiña

Me pergunto o motivo da vida
Sem sentido, a noite enfim vem,
Chega! Fria, as paredes se fecham
Meu ar quase falta, da falta de ti,
Meu coração chora um choro
Sentido da dor do amor perdido
Assim sem nada, meu desencanto
Do encanto que tinha, morro
Um pouco do que restou de mim,
Rastejando sai a tua procura,
Andei por lugares distantes nada
Verdejantes, tudo era podre sem
Vida da vida que não tive nunca
Cantei o canto do desalento não
Chorei, sequer não consegui,
Meu coração chorou por mim
Falei com o vento,
E o tempo, não te viram,
Mandei um recado pela Lua
Sentei, ela escureceu,
Com pena do que ia
Me dizer!

MENDUIÑA