quarta-feira, 6 de abril de 2011

Antes do fim - Marisa de Medeiros

Mar de angústia,
choro contido, sofrido,
com sentido,
prisão sem sentido
no grito que cala
dentro de mim;
faço e refaço,
atalhos nos caminhos,
choro baixinho,
vendaval de inquietação;
perco meu chão,
e, o tempo não pára,
o medo dispara,
antes do fim...
não sei me entender,
só sei que a dor
que dói em mim,
é por amor e
sempre será.

Marisa de Medeiros