sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Qualquer Hora - Odete Poesia

Assim tu me matas a qualquer hora
De amor e de tanta paixão
Esta chama de amor que me devora
Dilacera este pobre coração
 

Assim este amor vai-me enlouquecer
De tanto te querer só para mim
Este amor que sinto por você
É o primeiro amor que nasceu dentro de mim

As vezes este amor me descontrola
Me deixa louca de vontade de você
Na cama me viro como uma bola
Passo a noite sonhando com você

Assim te amar não vai dar certo
A não ser que eu mude o meu jeito
Não quero te amar no céu aberto
Quero te amar coladinho no meu peito

Mesmo assim jamais vou desistir
De você que para mim é um ser sagrado
Mesmo que eu sofra, vou ter que resistir
O que mais quero é ter junto a mim
Você meu Anjo, meu bem e meu amado!

Qualquer Hora - ***Odete Poesia***
(Direitos Autorais)