sábado, 13 de novembro de 2010

Um amanhã Nebuloso - Carmem Vervloet

Penso em ti, preocupo-me com teu futuro
enxugo minhas lágrimas, comovida,
na incerteza do que será tua vida!
Cresces em meio a tantos embates
podada da sua esperança...
Ah! Minha amada e doce criança,
floresces na lama da corrupção
e teu puro e doce coração,
ferido por tanta violência,
torturado por más influências,
bate em eterna insegurança,
fotografa feias lembranças
de um mundo de medos latentes
que se tornam insistentes
frente à inversão dos valores
que só causa dores e dissabores!
Grito a minha revolta
e luto pra trazer de volta
o sonho fugitivo
de um passado que ainda
dentro de mim está vivo!
Um passado de menos adversidades
onde não se comprava amizade,
quando se respeitava a natureza
e admirava-se a sua sabedoria e beleza...
Onde tudo era conquistado pelo trabalho
fincado como frondoso carvalho
na terra fértil da deferência e do amor!


Um Amanhã Nebuloso - Carmen Vervloet