terça-feira, 16 de novembro de 2010

Samba - Sulla Fagundes

Samba
que balança as ancas
deixa o molejo dengoso
samba que mexe comigo
coisa de mulher fogosa ...
mulher da vida noturna ...
que deixa encantado o passista
samba
daquela que bole os sentidos
tira o juízo
retido na retina cheiro dela ...
rebolativa
cai no samba
ou o samba cai que cai nela
corpo aconchegado num par de passo
que a boca enche
samba
sabor de batucada coisa que não cansa
descansa naquelas ancas salientes
samba
sendo alto rasgado canção ...
antigo com poesia ou desprovido
só batucado ....
samba é samba
regado a mulher batucada e poesia
samba meu... nosso de cada dia ...
samba
abençoado dos salões das praias avenidas
samba é sempre samba

Samba - Sulla Fagundes