segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Nos Cantos - Sulaa Fagundes

amando tanto como última
degustando a boca ávida de pecar
suando até matar o desejo cativo ...
cativa sendo da outra da esquina ....
se dando flutuando de dar pena
vadiando na roleta ...
da natureza escusa molhada de amar
outra esquina
entre coxas imbuída da sujeira da moeda
que a fome mata ...
amando fazer amor ou dinheiro decente
tão bela e tão delas ou deles ...
ou de quem rola os dados ....
os dedos a chamar .... sabia ... segue
sem sentido sentindo a sujeira indecente
amou
morreu de nojo de si... já sem dignidade ...
fugiu
a quem enganaria a pura .... mais indolente
numa indecência mórbida morre de rir do amor
nos cantos da casa de danos morre na contramão
no contra senso
faz tanto amor a bom preço .....
faz sexo pelo êxtase pleno do sentir atrapalhando
a lógica...
nos cantos
da casa de comodos ...comodo!

Nos Cantos - Sulla Fagundes