segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A Lua - Gladis Deble

A lua tudo contempla
das façanhas ela é cúmplice,
desse corpo enquanto templo.

Meu sonho tecido a noite
ou no frescor do alvorecer,
prá lua oferece rimas
prontas para amanhecer.

Artesã da madrugada
como candeia ilumina
procuro o alvo em silêncio
rumo ao verso desejado.
A Lua - Gladis Deble