sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Fiandeira - Gladis Deble

Faço meu verso,
teço uma rede
todos os dias.
Se muito sol
é fio brilhante
que luminoso
cria o instante.
Como aranha
que fiandeira
por natureza,
trama o destino.
Tomo a dianteira
juntando os pontos,
catando os cacos
e vou montando
o meu desenho,
mas vou ciente
que os grandes ventos
carregam tudo
rumo ao poente.
Fiandeira - Gladis Deble