sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Dialética de Amar - Ana Elizandra Gomes Ribeiro

Céu de escuro azul
Meu dia inerte e "Blue"
Sem gestos , sem voz
Auto-algoz
Vida sem rumo e  de dor
De saudade e de ardor.
Manhã nova
Cálido confronto
Brisas no rosto
Abraço gostoso
Sonho acordada
Estado feérico
            .
            .
                 Apaixonada

Dialética de Amar - Ana Elizandra Gomes Ribeiro