sábado, 30 de outubro de 2010

Chovia - Marisa de Medeiros

Pingos de diamantes,
Cintilando caminhos,
Preenchendo vazios,
Expulsando espinhos.
Vestido de Sol, aquecia
O frio da estação.
Cantarolava uma canção,
Explodia Paz, inspiração.
Injetava faíscas de vida,
Nas desditas imprevistas,
Fazia tapetes de estrelas,
Trazia a Lua faceira.
Na boca, o mel de abelha,
Nas mãos, rosas vermelhas,
No olhar, a imensidão do mar,
No corpo o próprio amar.
O coração, uma centelha.
Para nunca esquecer,
Com beleza e esplendor,
Chovia amor... Pra você.


Chovia - Marisa de Medeiros
http://poetisamarisamedeiros.blogspot.com/