sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Amor Sublime - Marisa de Medeiros

Teu olhar me passa,
Segurança e graça,
Não se disfarça, a
Ternura cristalina,
Tão pura como
Águas de cachoeira,
Lavando corpo e alma,
Na palma das mãos;
Luz transcendente,
A alma, que me olha agora,
Nasce como aurora,
Revigora de paz o coração;
Esse amor tão sublime,
Exprime beleza e pureza, de
Amor que não se define.


Amor Sublime - Marisa de Medeiros