terça-feira, 28 de setembro de 2010

"Madiba" Consciência Negra - Cesar Moura

Afastado da liga social por injustiça,

Na união racial que iça o amor por justiça venceu.
Vida separada a segregação, apartheid uma dor comoveu...
No cárcere privado seu sonho não morreu...
Madiba, guerreiro lutou pela paz,
Guerrilheiro de uma paixão;
Liberdade tomada à mão do silêncio
Prisioneiro perpetua em seu ideal...
Família tornou-se pra ele uma nação num sentimento legal.
A humanidade ganhou sua voz no coração do nobre rapaz,
Em teu formoso ser humanista voraz;
Levantou a bandeira do amor
Por ter no intento o curso direito, modera conciliador.
Mandela, a flor do alento
No desalento da dor,
Foste feito verdade na foz de justiça!
Ser homem pouco bastou os limites da cor.
Lutador apanhou na vida,
Preço que pagou por tantas chagas na alma...
Condenado ao exílio da dor,
Para ver correndo os filhos da liberdade
Inundou de coragem teu coração bendito
- Consciência negra -
Dito filho fiel,
Digno do busto em sua honra
Feito na poesia o gosto de mel.
Sei de teus feitos!
No exemplo deste efeito moral,
Pelo destino que controlou nas palmas de tuas mãos.

"Madiba" Consciência Negra - Cesar Moura  in Revista Zap - poetas Maravilhosos,26/09/10