sábado, 31 de julho de 2010

Poço Azul - Família Braga


Quem sabe nadar tenta evitar o colete salva-vidas, mas basta mergulhar o rosto no poço Azul para entender o porquê de tanto cuidado.

Enxergar as formações rochosas com extrema nitidez, apesar da profundidade (varia de 3,5 m a 16 m), causa uma espécie de vertigem. A impressão não é a de estar na superfície, mas lá embaixo, no fundo do poço, tamanha a transparência da água.

Localizado em um sítio de 25 ha em Nova Redenção, o poço tem 80 metros de extensão com duas cavernas de 20 m2. Estima-se que essa área corresponde a apenas um terço de tudo o que há para ser explorado na caverna. A flutuação pode ser feita apenas na parte da frente do poço, delimitada por cordas.

Apesar de o sensível bagre albino também habitar o poço Azul, os banhos são permitidos. De acordo com a família Braga, que explora a atração, isso ocorre em razão da rápida renovação da água, cuja vazão (3 cm3/s) seria maior que no poço Encantado.